close

Quem são as eleitoras de Fernando Haddad e de Jair Bolsonaro?

Haddad tem mais eleitoras no Nordeste, enquanto Bolsonaro tem mais eleitoras no Nordeste. | Foto: Mídia Ninja e Reprodução Youtube Gabriel Pelissaro

Por Carolina de Assis*

Um retrato das mulheres que votam em cada um dos candidatos presidenciais no segundo turno do próximo domingo (28/10) dá conta de que 51% das eleitoras de Jair Bolsonaro (PSL) estão no Sudeste. Já Fernando Haddad (PT) tem a maior parte de suas eleitoras no Nordeste (38%), única região em que ele venceu no primeiro turno, com 51% dos votos.

Os números sobre as eleitoras são de pesquisa realizada pelo Ibope entre domingo e terça-feira (21 a 23/10) e divulgada ontem (24/10).

graficoregiõeseleitoras

Dois terços das mulheres que votam em Haddad (67%) têm renda de até dois salários mínimos, enquanto quase um terço das eleitoras de Bolsonaro (29%) ganham entre dois e cinco salários mínimos. Também é significativa a diferença do peso das eleitoras que ganham mais de cinco salários para o candidato do PSL (15%) e para o do PT (10%).

[+] Leia também: Mais pessimistas, mais insatisfeitas e mais à esquerda: as mulheres nestas eleições, segundo o Ibope

Mais de um terço das eleitoras de Bolsonaro (35%) se diz evangélica e pouco mais da metade (52%) se diz católica. Entre as eleitoras de Haddad, 64% se dizem católicas e um quinto (21%) se diz evangélica.

graficorendaeleitoras

Outra diferença considerável entre as eleitoras de cada candidato é a escolaridade: 23% das que votam em Haddad estudaram até a 4a série do ensino fundamental, diante de 12% das eleitoras de Bolsonaro. A maior parte das eleitoras dos dois candidatos estudou até o ensino médio, mas o peso delas é maior para Bolsonaro (42%) do que para Haddad (37%).

Vivem em municípios com até 50 mil habitantes 40% das eleitoras do petista e 28% das eleitoras de Bolsonaro. Têm mais peso para o candidato do PSL as eleitoras que vivem em municípios com entre 50 mil e 500 mil habitantes (39%) e as que vivem em cidades com mais de 500 mil pessoas (32%). Para Haddad, estas são 34% e 26% de suas eleitoras, respectivamente.

*Carolina de Assis é editora da Gênero e Número.