close

FAQS

Quando a GN surgiu?

A Gênero e Número foi fundada em 2016, iniciando suas atividades como a primeira organização de mídia independente no Brasil orientada por dados para qualificar o debate sobre equidade de gênero.

Onde a GN está presente?

Atualmente a redação da GN está sediada no Rio de Janeiro, mas nossa equipe é conectada e atenta ao contexto do Brasil e de toda América Latina. Conta com colaborações de jornalistas, programadores/as e designers vivendo em outras regiões. Nosso conteúdo é disponibilizado online, sempre em licença Creative Commons, permitindo reprodução e uso não-comercial por qualquer pessoa interessada.

O que a GN faz?

A GN produz jornalismo, realiza pesquisas e visibiliza dados públicos após tratamento e análise dos mesmos. Trabalhamos prioritariamente com narrativas orientadas por dados, em diferentes formatos: textos, vídeos, visualizações, áudios. Nosso propósito é gerar e repercutir informação qualificada e verificada para embasar discursos de mudança.

Para quem GN produz conteúdo?

A Gênero e Número produz para audiência ampla, interessada em informação, em debates que levantem questões de direitos e de equidade de gênero.. Acreditamos que a convergência de vozes e o compartilhamento contínuo de informação em diferentes plataformas promovem maior compreensão do contexto, dos temas que trabalhamos e da realidade que visibilizamos.

Como a GN atua?

Atuamos como um negócio social, buscando promover conhecimento, acesso a dados públicos e maior debate sobre questões de gênero. Levantamos, tratamos, analisamos e visibilizamos dados abertos por meio de narrativas. Como startup e organização de mídia independente, valorizamos a inovação nas práticas e na forma de se relacionar com as audiências.  abraçamos com entusiasmo plataformas online e presenciais e formatos diversos.

A GN está associada a algum partido?

A Gênero e Número é apartidária e propõe-se a aprofundar principalmente temas relacionados a uma agenda de direitos, a partir de dados e de vozes legítimas e comprometidas com o diálogo amplo que a democracia pressupõe.

A GN aplica alguma Política de Diversidade internamente?

A conexão da Gênero e Número com os temas de gênero em pauta no debate público tem sempre a diversidade e a interseccionalidade em perspectiva, considerando o contexto estratificado em que hoje se inserem o Brasil e tantos países da América Latina. Na nossa estrutura organizacional, prevemos não só as diversidades racial e de gênero, mas de experiências e competências em todas as frentes de atuação, desde a produção de conteúdo e a organização de eventos até a formação do Conselho Consultivo. Dentro dos limites de uma startup de mídia, mantemos uma política de RH inclusiva para colaboradores internos e externos, e buscamos o monitoramento das práticas aplicadas.

Por que eu devo apoiar a GN?

A falta de equidade é estrutural, diária e ainda naturalizada por grande parte da sociedade. Narrativas generalistas pouco explicam as consequências dessas assimetrias para o funcionamento de uma sociedade democrática. A produção midiática sobre gênero e raça pode e deve melhorar, com mais precisão, mais dados e mais contexto. Na era do big data, levantamentos e análises de dados sobre temas diversos precisam ter recorte de gênero e raça. É comum que se confunda esse jornalismo de nicho com ativismo, mas a nossa missão é produzir jornalismo plural e preciso.

Nosso trabalho é extremamente relevante num país onde discursos radicalizados têm se sobreposto à informação verificada. Em 2 anos a GN já publicou reportagens, já realizou eventos e produziu vídeos que passaram por temas como Trabalho, Esporte, Cultura, Política, Mobilidade, Direitos Reprodutivos, Ciência & Educação, Violência, Justiça e Segurança Pública, entre outros. Sempre com a lente do debate de gênero.  Disponibilizamos gratuitamente 2 minidocumentários no nosso canal, que levantam temas como a parentalidade na ciência e presença das mulheres negras na matemática

Como a GN financia as suas atividades?

A Gênero e Número tem suas atividades financiadas por doações filantrópicas realizadas por fundações comprometidas com a justiça social , por assinaturas de pessoas físicas e realização de serviços, como workshops, realizados pela nossa equipe. Não recebemos recursos de governos,  entidades religiosas ou partidos políticos.

A GN aceita pessoas para fazer trabalho voluntário?

Caso você tenha interesse em fazer algum trabalho voluntário na Gênero e Número, envie um e-mail para contato@generonumero.media para que possamos verificar a possibilidade e disponibilidade de vagas.

As pessoas que trabalham na GN recebem salário?

Sim. Nossos profissionais têm contratos de acordo com a legislação trabalhista.

Como minha empresa pode fazer uma parceria/assinatura para a GN?

Entre em contato através do contato@generonumero.media para tornar sua empresa uma parceira da Gênero e Número.

close-image